Imensidão de um sábado cinza em São Paulo

Raissa Rossini

Quando a terra da garoa tem um sábado tipicamente paulistano é a oportunidade de fugir da preguiça do sofá e viajar em sensações que são partes importantes da sua história como brasileiro. São esses recados do tempo que, provavelmente, você nem conheça.

E como o Mochilaí é o passaporte para todas as suas viagens, propomos um passeio através da arte e suas demonstrações históricas, disponíveis bem pertinho dos mais de 12 milhões de paulistanos.

Para chegar até lá, tem trânsito? Pode ser que sim ou, até mesmo, pegue um pouquinho de garoa. No entanto, sua entrada está garantida por bem menos do que você gasta com o streaming de filmes, podendo até ser totalmente de graça.


Nossa primeira parada começa na Pinacoteca de São Paulo um dos museus mais importantes do Brasil. A imensidão e a luminosidade do prédio são um convite às salas, que esconde obras de grande artistas brasileiros, que mudaram nossa história, como os modernistas Tarsila do Amaral, Anita Malfatti, Portinari e Victor Brecheret. E por falar em Brecheret, não perca a oportunidade de passear pelo jardim (Ps: Se estiver chovendo veja do segundo andar de um dos balcões). A entrada e o estacionamento são gratuitos =D (mas chegue cedo, pois são poucas vagas)

A segunda parada é dois em um. O MAM e o Museu Afro Brasil dividem espaço com eucaliptos, figueiras e jequitibás moradores do Parque do Ibirapuera desde, pelo menos, 1954. Contemporaneidade e identidade são as palavras que definem as visitas. Abra seu coração para obras de Vik Muniz e Aleijadinho. A entrada no dois são gratuitas =)

E por último, mas não menos importante, vamos relembrar o que nunca será apagado. O Memorial da Resistência de São Paulo tem a história de pessoas com o mesmo sangue que corre em nossas veias e foram torturadas enquanto lutavam pela liberdade de pensar, de agir e de viver. A visitação às instalações do antigo prédio do Deops (Departamento Estadual de Ordem Política e Social do Estado de São Paulo) é gratuita, assim como, hoje, é nosso pensamento.

 

PARTIU MAIS PASSADO?

Meus relatos sobre o histórico Peru (por Giovanna Regis)

Celebridades e suas estátuas: uma viagem pelo Brasil

São Paulo ganha farol de história, arte, cultura e empreendedorismo